Disturbio do Sono em Crianças - Dr. Alexandre César

Disturbio do Sono em Crianças

Disturbio do Sono em Crianças

Distúrbios do Sono em crianças

São diversas condições agudas ou crônicas, temporárias ou permanentes que podem afetar o sono desta faixa etária, algumas estão relacionadas à imaturidade do sistema nervoso central, desaparecendo com a idade, outras podem necessitar de tratamento.

 

Apnéia Obstrutiva do Sono e Ronco em crianças

Ronco é tão comum entre crianças e adultos que muitos pais o consideram normal. Entretanto, o ronco é um sintoma de fluxo aéreo turbulento resultante de vários graus de obstrução de vias aéreas.

O significado clínico dos roncos varia muito de um simples incômodo benigno até um importante marcador de processo patológico, com complicações que podem ameaçar a integridade física do paciente.

Quando os roncos são persistentes e os pais da criança ficam preocupados, ou se o médico suspeita de obstrução clínica significativa de vias aéreas, deve-se realizar uma avaliação das vias aéreas superiores e, em alguns casos, uma polissonografia.

Alguns casos são considerados "ronco primário", ou seja, ronco habitual sem queda da oxigenação do sangue (hipoxemia), aumento do gás carbônico no sangue (hipercapnia), comprometimento do sono ou sintomas diurnos associados.

Por outro lado, o ronco pode ser um sintoma de hipoventilação grave, o que podem ter como consequência problemas cardiocirculatórios (cor pulmonale, cardiomegalia, hipertrofia do ventrículo direito, insuficiência cardíaca congestiva), lesão neurológica permanente, etc.

As alterações que causam o ronco também podem levar à incapacidade de crescimento e desenvolvimento porque há um dispêndio energético causado por aumento do trabalho respiratório durante o sono.

Os distúrbios obstrutivos do sono causam efeitos adversos que afetam a qualidade de vida da criança, seu comportamento e capacidades cognitivas.

Os distúrbios obstrutivos do sono com concomitante privação de sono podem contribuir para sonolência Excessiva diurna, déficits de aprendizagem, memória e vocabulário, déficit de atenção, hiperatividade, irritabilidade, comportamentos agressivos, problemas disciplinares e distúrbios neurocomportamentais.

Além disso, os distúrbios obstrutivos do sono devido à hipertrofia adenotonsilar (aumento de amígdalas e adenoide) podem contribuir para enurese (fazer xixi na cama ao dormir), menor estatura, disfagia (dificuldade para engolir, principalmente alimentos sólidos), distúrbios de fala, inclusive hiponasalidade (voz anasalada), rinorréia crônica (secreção nasal mucocatarral - nariz escorrendo), maloclusão (problemas sobre arcada dentária, devido à respiração bucal) e otite média com efusão (catarro na orelha com diminuição da audição, por.ex.:criança aumenta volume da televisão).

O ronco pode ainda causar privação de sono e estresse emocional para os pais que permanecem acordados toda a noite para lidar com os problemas de sono do filho.

O desafio para os médicos que atendem tais crianças é separar aqueles que simplesmente roncam daqueles que apresentam obstrução de vias aéreas superiores clinicamente significativa, e determinar a conduta adequada baseada na fonte e na gravidade do problema.

 

Sintomas mais comuns da síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono na infância

 

Diurnos:

  • Respiração bucal
  • Irritabilidade e comportamento agressivo
  • Déficit de aprendizado, memória e de vocabulário
  • Déficit de atenção e hiperatividade
  • Sonolência excessiva diurna
 

Noturnos:

  • Roncos
  • Sono inquieto
  • Parar de respirar ao dormir (apneia)
  • Respiração bucal
  • Facilidade de babar
  • Tosse
  • Enurese (fazer xixi ao dormir)
 

Parassonias

São distúrbios no geral benignos, associados ao crescimento e desenvolvimento e que tendem a desaparecer com o passar da idade. Parecem ser causadas por um despertar incompleto e podem ocorrer durante o sono não REM e o sono REM.

Nas crianças as Parassonias tendem a ocorrer na primeira metade da noite, estando associadas ao sono não REM:

  • Despertar confusional: mais comum em bebês e se manifesta por movimentos de se debater associado a choro inconsolável. A tentativa dos pais em interromper o processo pode fazer com que este se prolongue e a criança pode demorar a voltar a dormir.
  • Terror noturno: a crise inicia-se geralmente com um grito, a criança se levanta ou senta na cama e pede por socorro; parece terrivelmente assustada, pode haver palpitação e sudorese, mas geralmente volta a dormir e não se lembra do ocorrido, não há consequências para o dia seguinte, a eficiência do sono não é comprometida.
  • Sonambulismo: apesar de dormindo a criança pode se sentar na cama, andar pelo quarto ou pela casa.
  • Sonilóquio: a criança fala enquanto está dormindo.

Dr. Alexandre César

- Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG em 1996.

- Especialista em Cirurgia de Cabeça a Pescoço pelo Instituto do Câncer de Minas Gerais (Hospitais Mário Penna e Luxemburgo).

Conheça mais sobre o Dr. Alexandre