O que é Rinossinusite? - Dr. Alexandre César

O que é Rinossinusite?

Podemos definir clinicamente Rinossinusite como todo o processo inflamatório que acomete a mucosa nasal e dos seios paranasais seja de etiologia viral, bacteriana ou fúngica. As definições têm como base a sintomatologia e a duração dos sintomas. No entanto, alterações da Endoscopia Nasal também são muito importantes para fechar o diagnóstico de Rinossinusite.

 

Sintomas associados a rinossinusites

História Clínica - Inflamação do nariz e dos seios paranasais caracterizada por dois ou mais sintomas maiores ou um maior e dois menores:

  • Obstrução nasal;
  • Gotejamento nasal anterior e/ou posterior;
  • Tosse;
  • Dor e/ou pressão facial;
  • Redução ou perda do olfato;
  • Cefaléia (dor de cabeça);
  • Halitose (mau hálito);
  • Dor em arcada dentária;
  • Otalgia ou pressão em ouvidos.
 

Rinossinusite aguda

A suspeita de uma Rinossinusite Aguda bacteriana deve ocorrer quando os sintomas de uma IVAS viral pioram após o quinto dia ou persistem por mais de 10 dias, com presença de secreção purulenta em locais de drenagem dos seios (p. ex. meato médio), sugere fortemente etiologia bacteriana.

 

Rinossinusite crônica

A Rinossinusite Crônica caracteriza-se pela persistência dos sinais e sintomas por mais de 12 semanas. As alterações inflamatórias da mucosa tornam-se persistentes e quanto maior o tempo de evolução menores as possibilidades de reversão com o tratamento clínico.

A suspeita de etiologia bacteriana só pode ser definitivamente confirmada após a cultura de secreção preferencialmente de meato médio, entretanto, essa prática não é necessária em casos corriqueiros de rinossinusites.

 

As crianças podem ter rinossinusite?

Os seios paranasais das crianças só estarão completamente desenvolvidos por volta dos 21 anos de idade. Entretanto, crianças podem sofrer com problemas de sinusite.

Embora pequenos, os seios paranasais maxilar (na região da bochecha) e etmoidal (lateral aos olhos) já estão presentes ao nascimento.

A sinusite é difícil de diagnosticar nas crianças, pois infecções respiratórias são frequentes e os sintomas podem ser muitas vezes confundidos.

Diferentemente de um resfriado ou alergia, a sinusite bacteriana nas crianças requer um cuidado, inclusive com atenção especial do médico otorrinolaringologista para o tratamento adequado com antibióticos evitando assim possíveis complicações como celulite orbitária e até mesmo meningite.

 

Os seguintes sintomas podem indicar uma infecção o sinusal na criança:

  • Resfriado que tem duração maior que 14 dias, às vezes com febre baixa;
  • Presença de secreção nasal espessa e amarelada ou esverdeada;
  • Obstrução nasal (nariz entupido), ou lesões ao redor das narinas (impetigo em vestíbulo nasal);
  • Secreção na garganta, às vezes com inflamação na garganta;
  • Tosse, com piora durante o sono à noite;
  • Halitose (mau hálito);
  • Prostração, náuseas e /ou vômitos;
  • Dor de cabeça, geralmente em crianças após os 6 anos de idade;
  • Inchaço ao redor dos olhos.
 

Exames complementares

Endoscopia Nasal: É recomendada para todos os pacientes com qualquer tipo de queixa nasal.

A nasofibroscopia por meio de endoscopia rígida ou flexível permite a avaliação do meato médio, além de oferecer detalhes sobre a características da mucosa, a presença de lesões (presença de pólipos), o aspecto da secreção nos locais de drenagem, a presença de infecção ou aumento (hipertrofia) da adenóide nas crianças, etc.

Tomografia Computadorizada: Está indicada nas sinusites crônicas ou recorrentes, nas complicações de sinusites agudas, devendo ser realizada de preferência após tratamento clínico.

RX de seios paranasais: não faz parte da rotina diagnóstica por ser um exame pouco sensível e pouco específico, sendo que a história clínica e exame físico com endoscopia nasal são suficientes para o diagnóstico de uma Rinossinusite Aguda sem complicação. E o RX também não está indicado no controle evolutivo de uma Rinossinusite.

 

Tratamento

Desobstruir os seios da face e restabelecer a drenagem é tão importante quanto erradicar o agente etiológico.

Algumas medidas que podem ser úteis na desobstrução dos seios:

  • Hidratação adequada, umidificação do ambiente e evitar exposição a agentes que causem alergia.
  • Lavagem nasal com solução salina. É importante para todos os pacientes. Geralmente usa-se solução salina fisiológica. Para fazer uma lavagem efetiva é necessário volume, pois é um processo mecânico, então se aplica a solução nas fossas nasais com o auxílio de uma seringa até a solução atingir a cavidade oral, uma narina de cada vez. Repete-se o procedimento algumas vezes ao dia.
 

Antibioticoterapia

Feito o diagnóstico de Rinossinusite Bacteriana Aguda ou Crônica, a escolha do antibiótico deve recair sobre as bactérias de maior prevalência.

É recomendado o uso de antibióticos por 10 a 14 dias, porém se a resposta clínica for baixa, a continuação da terapia por uma semana depois da resolução dos sintomas pode ser a melhor escolha. Já as rinossinusites crônicas devem ser tratadas por um período prolongado, no geral por 21 dias.

 

Cirurgia

Cirurgia deve ser considerada quando há falha no tratamento clínico (com uso de medicações adequadas prescritas por médico otorrinolaringologista).

Nos casos em que há alterações anatômicas envolvidas, como casos de desvio do septo nasal ou de presença de pólipos, que não permitem a entrada adequada das medicações, especialmente os “sprays” nasais, uma cirurgia para a correção destas alterações anatômicas também deve ser considerada.

Atualmente a cirurgia é realizada com o auxílio de instrumentos especiais que facilitam a visualização e realização dos procedimentos, tais como endoscópios com câmeras de vídeo, microdebridadores e balões.

Com o endoscópio o cirurgião pode observar diretamente o interior nariz e seios paranasais, removendo tecidos doentes e possíveis lesões quando necessários, limpando e desobstruindo a drenagem dos seios paranasais para as fossas nasais. A cirurgia geralmente é realizada sob anestesia geral.