Punção Biópsia Aspirativa de Nódulo de Tireóide (Paaf) - Dr. Alexandre César

Punção Biópsia Aspirativa de Nódulo de Tireóide (Paaf)

Na Punção Biópsia Aspirativa com Agulha Fina (PAAF), uma agulha fina é inserida dentro da glândula tireoidiana, sendo guiada pela ultrassonografia, aspirando ou succionando células e/ou liquido de nódulos tireoidianos.

A amostra obtida é então avaliada para excluir ou afirmar a presença de células cancerosas. Apesar de ser um procedimento seguro e simples, pode ocorrer desconforto e dor discretos, em alguns casos pode ser utilizada anestesia local.

 

Interpretação dos resultados da PAAF

Atualmente a PAAF segue a classificação de Bethesda:

  • Bethesda I: material insuficiente.
  • Bethesda II: benigno.
  • Bethesda III: atipia de significado indeterminado (pode ser benigno ou maligno, em geral risco de malignidade de até 15%).
  • Bethesda IV: suspeito para neoplasia folicular (pode ser benigno ou maligno, em geral risco de malignidade de até 30%).
  • Bethesda V: suspeito para carcinoma (chance de ser realmente maligno excede 90%).
  • Bethesda VI: compatível com carcinoma (chance de ser realmente maligno praticamente 100%).

Dr. Alexandre César

- Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG em 1996.

- Especialista em Cirurgia de Cabeça a Pescoço pelo Instituto do Câncer de Minas Gerais (Hospitais Mário Penna e Luxemburgo).

Conheça mais sobre o Dr. Alexandre